PROJECTOS

DiverGenteS

Acções Afirmativas pela Diversidade

A diversidade e multiplicidade de vivências em torno das áreas da igualdade de género, orientações sexuais, identidades e expressões de género e características sexuais, apresenta novos desafios às pessoas, à comunidade, bem como às estruturas locais.

Importa atender aos processos de exclusão social e às múltiplas discriminações que as populações vivenciam e que, em associação estreita com a falta de recursos económicos, educacionais e sociais, inibem oportunidades de exposição a experiências positivas de sensibilização e conscientização.

Pretende-se, assim, criar um serviço de proximidade que concentre respostas múltiplas de encaminhamento e que possa funcionar como uma primeira linha de esclarecimento e problematização dos processos de exclusão social e de múltiplas discriminações vivenciados em contextos pessoais, familiares e/ou comunitários.

Protege +

Formação e sensibilização de profissionais para a prevenção da mutilação genital feminina

A mutilação genital feminina (MGF) é definida pela Organização Mundial de Saúde como forma de violência de género e uma violação dos direitos humanos, em particular das mulheres, e inclui todos os procedimentos que implicam a remoção parcial ou total da genitália feminina externa, ou outras lesões aos órgãos genitais femininos por razões não médicas.

Financiado pela Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género, o projecto Protege+ procura desenvolver um trabalho preventivo associado a uma sensibilização para os factores de risco da MGF, com foco na formação, preparação e sensibilização sobre a temática e partindo de uma perspectiva sensível ao género e à cultura.

As acções foram desenhadas para profissionais e futuros/as profissionais que, no âmbito das suas funções, pudessem ter contacto com vítimas ou pessoas em risco de MGF.

A primeira edição decorreu em 2019/2020 e a segunda teve início no final de 2021.

Pessoas LGBTI e diversidade funcional

Sensibilização, capacitação e investigação 

A convenção dos direitos de pessoas com deficiência e a declaração dos direitos sexuais afirmam a saúde sexual como um direito humano universal (UN, 2007; WAS, 2014), mas inúmeras pessoas com diversidade funcional continuam a enfrentar barreiras que limitam a sua vivência afetiva e/ou sexual. A invisibilidade da sexualidade de pessoas com diversidade funcional multiplica-se quando estas são, simultaneamente, pessoas LGBTI. É fundamental conhecer e desconstruir os diferentes eixos em que estas desigualdades operam, para informar políticas públicas na ótica da prevenção e combate à discriminação em razão da orientação sexual e da identidade de género, incluindo nas suas formas interseccionais.

Este projeto adota uma metodologia de investigação-ação, e alia a produção científica à sensibilização e capacitação. Ao longo de 12 meses, serão dinamizadas um conjunto de atividades que permitirão sensibilizar, capacitar e informar sobre a temática LGBTI interseccionada com a diversidade funcional, junto de utentes com diversidade funcional e de profissionais que prestam serviços neste âmbito.

gentopia - Associação para a Diversidade e Igualdade de Género

gentopia.adig@gmail.com